Avançar para o conteúdo

Dicas de design – Crie a base perfeita escolhendo os itens essenciais certos

uma sala de estar com paleta neutra com almofadas azuis e obras de arte

Projetar e decorar uma sala pode ser um projeto divertido que você mesmo pode fazer facilmente. No entanto, para obter a aparência desejada, primeiro você deve certificar-se de que a base interna com a qual está trabalhando não está funcionando contra você.

Uma base interior no design serve como base sobre a qual todos os outros elementos do design são construídos. Criar um bom cenário permitirá que você implemente perfeitamente o estilo escolhido, garantindo que todas as dicas de design abaixo, sejam cores, texturas ou acessórios, se unam de forma harmoniosa.

Você pode não querer que o resultado final seja neutro, mas a melhor solução seria começar com uma base neutra para poder construir em torno dela. Com isso em mente, aqui estão algumas dicas e truques de design que o ajudarão a criar a base perfeita e permitirão transformar o espaço em um oásis verdadeiramente personalizado.

 


Dicas de design para criar a base interior perfeita

uma cozinha branca com piso de madeira escura e iluminação moderna acima da ilha
O branco é sempre uma boa base para um interior!

O papel dos elementos essenciais no design não pode ser exagerado. Esses elementos fundamentais atuam como blocos de construção que dão estrutura, coerência e propósito a um projeto.

Chão

Em primeiro lugar, é preciso pensar no piso. Como os pisos servem como base literal para todos os móveis e acessórios que você adiciona posteriormente, primeiro você precisa ter certeza de que eles são resistentes e duráveis ​​e se ajustam ao seu design geral.

O ideal é optar por soluções de piso de madeira – que geralmente são mais caras, ou soluções de piso de vinil – que são extremamente duráveis, mas são uma alternativa significativamente mais barata.

Certifique-se de saber qual estilo geral você procura na sala e escolha o piso para complementá-lo:

  • Interiores modernos – piso de madeira leve a média (como carvalho ou bordo) com acabamento fosco ajuda a mostrar uma aparência moderna.
  • Contemporâneo – Parquet de tábuas largas com acabamento claro ou carvalho.
  • Industrial – madeira recuperada ou vinil de aparência rústica.
  • Meio século Moderno – Pisos de madeira de tons claros a médios, como teca ou nogueira, geralmente em tábuas estreitas ou parquet.
  • escandinavo – Madeiras de cor clara, como freixo ou pinho, ou piso laminado branco.
  • boêmio – Madeira desgastada ou envelhecida com tapetes coloridos.
  • Rústico/Quinta – Madeira nobre recuperada ou raspada à mão, tábuas largas ou ardósia semelhante a pedra natural, que pode ser reproduzida em vinil.
  • Costeiro – Carpete em madeira caiada ou de cor clara, pedra natural ou ervas marinhas.

Se estiver escolhendo uma solução de piso para seu banheiro ou cozinha, certifique-se de que a opção escolhida seja antiderrapante, para reduzir o risco de acidentes e lesões.

Porém, durabilidade e qualidade não devem ser sua única preocupação. Você pode navegar pelas ofertas em lojas de pisos para ver quais estilos, acabamentos e materiais você pode escolher.

Paleta de cores

um quarto neutro com almofadas verdes, obras de arte e muitas plantas

A psicologia das cores desempenha um papel central no design e na base do seu interior. As cores têm o poder de evocar emoções específicas, influenciar percepções e até influenciar decisões.

As cores podem ser introduzidas em uma sala de várias maneiras, mas primeiro você precisa encontrar a cor base certa! Escolher a paleta de cores certa é essencial para definir o clima e o tom do ambiente, criando um ambiente harmonioso.

Comece entendendo a função principal do espaço. É um quarto sereno, uma cozinha movimentada ou um escritório profissional? Cada cor tem efeitos psicológicos. Por exemplo, o azul é calmante, o vermelho é energizante e o verde é refrescante. Portanto, você precisa alinhar suas escolhas de cores com a resposta emocional desejada para o espaço.

Divida suas opções de cores em tons dominantes (60%), secundários (30%) e de destaque (10%). Este equilíbrio garante que o espaço não fique plano, sem sobrecarregar os sentidos. Espaços com luz natural abundante podem lidar com tons mais escuros, enquanto aqueles com luz limitada podem se beneficiar com cores mais claras e reflexivas.

Se o ambiente já possui luminárias, móveis ou detalhes arquitetônicos, opte por cores que complementem esses elementos para manter os custos baixos. Tons neutros como bege, cinza ou branco podem oferecer flexibilidade em um ambiente e combinar com qualquer tipo de iluminação. Você pode então colocar cores de destaque para combinar com a finalidade do ambiente.

Finalmente, embora seja normal incorporar as tendências atuais de cores, pense a longo prazo. Escolha tons atemporais para grandes áreas e use tons modernos para detalhes facilmente alteráveis.

Iluminação

uma luminária floral vintage e um abajur no canto de uma sala de estar verde

A iluminação é outro elemento essencial de qualquer interior. Ele pode potencialmente ter o poder de fazer ou quebrar totalmente o projeto, por isso deve ser abordado com muito cuidado. É importante ressaltar que não estamos falando apenas de luminárias, mas também de fontes de iluminação e posicionamento em geral.

Se o espaço que você está decorando tem muita luz natural ao longo do dia, aproveite ao máximo prestando atenção aos tratamentos das janelas e não escondendo as janelas atrás delas. Além disso, instale muitas fontes de iluminação em todo o espaço para poder controlar a quantidade de luz em diferentes partes da sala.

A iluminação suspensa deve ser colocada no centro do teto, a menos que você esteja trabalhando em um grande espaço aberto. Seria mais vantajoso ter duas ou mais fontes de iluminação suspensas.

Fontes de iluminação de tarefas e de realce podem ser adicionadas posteriormente, depois que todos os outros elementos de design forem implementados. No entanto, certifique-se de deixar espaço suficiente para isso durante a fase de planejamento.

Espaço e layout

uma sala de estar aberta e cozinha com decoração neutra e piso de madeira clara

A consciência espacial no design é fundamental por vários motivos. Compreender as nuances do espaço e como os objetos interagem nesse espaço é vital para qualquer designer, seja ele projetando uma sala, um edifício ou até mesmo uma obra de arte gráfica.

No design de interiores, garante que haja espaço suficiente para se movimentar entre os móveis ou que a cozinha seja organizada de forma eficiente. A avaliação inadequada do espaço pode levar a situações perigosas, como uma porta que não abre totalmente porque bate em um móvel ou um espaço muito apertado que pode representar risco de incêndio.

Compreender como as pessoas se movem em um espaço ajuda a criar designs intuitivos nos quais os usuários possam navegar perfeitamente, sem se sentirem limitados ou confusos.

  • As técnicas de otimização de espaço, especialmente em áreas pequenas, incluem:
  • Invista em móveis multifuncionais
  • Maximize o espaço vertical com prateleiras
  • Use espelhos para fazer um espaço parecer maior
  • Se possível, considere uma planta baixa aberta
  • Use cores claras para tornar um ambiente maior e mais claro
  • Utilize portas de correr
  • Crie áreas distintas com tapetes ou cores de tinta diferentes
  • Use piso contínuo para criar uma sensação de continuidade
  • Compre móveis com pés elevados para permitir melhor visibilidade do chão

Trata-se de ser criativo e encontrar soluções que atendam às suas necessidades e gostos específicos.

Concentração e ênfase

Um fogão a lenha em uma lareira de pedra em uma casa de campo nas Terras Altas da Escócia, com estantes de livros e decoração aconchegante

Depois de decidir os itens essenciais, como piso, esquema de cores, iluminação e revestimentos de janelas, designe um ponto focal na sala, como uma lareira, uma obra de arte ou uma peça de mobiliário excepcional. Isto se torna o centro das atenções e determina para onde o olhar do observador é direcionado primeiro, e outros elementos devem complementar ou conduzir a esse ponto focal.

Finalmente, todos os elementos de design devem funcionar juntos de forma coesa. Isto não significa que tudo tenha que combinar, mas deve haver um sentimento de pertencimento entre todos os elementos da sala. A introdução de diferentes padrões e texturas adiciona profundidade e riqueza ao espaço e pode fazer com que o ambiente pareça mais em camadas e convidativo.

Seguindo estes princípios básicos ao projetar um ambiente, todos os outros elementos, como móveis, acessórios e estofados, devem se encaixar facilmente. Este é apenas o ponto de partida para criar uma casa perfeita para você.

Dicas de design – Crie a base perfeita escolhendo os fundamentos certos do Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *